segunda-feira, novembro 10, 2008

A Virada

A produção é simples, a atuação de alguns atores deixa um pouco a desejar e o roteiro é bem singelo. Então, por que ver esse filme? Antes de responder à pergunta, uma consideração: as pessoas estão tão acostumadas a produções hollywoodianas milionárias carregadas de efeitos especiais e ação, que quando assistem a produções mais modestas (“A Virada” consumiu parcos 20 mil dólares) nem sempre se sentem satisfeitas em sua ânsia por entretenimento. Há filmes que devem ser vistos com outro tipo de olhar e com uma motivação que vá além do interesse no mero passatempo.

“A Virada” (“Flywheel”, no original, é uma peça essencial no motor dos automóveis) foi produzido pela Sherwood Pictures, a mesma que levou às telas o festejado “Desafiando Gigantes”. Na verdade, “A Virada” foi o primeiro filme deles, mas só agora foi lançado no Brasil. Escrito pelos irmãos Kendrick e estrelado por Alex Kendrick (o treinador Grant Taylor do filme “Desafiando Gigantes”), “A Virada” chega a ser um filme até mais convincente e se esforça para adicionar umas pitadas de bom humor na história.

Kendrick faz o papel de Jan Austin, um vendedor de carros usados que trapaceia seus clientes. Entretanto, em lugar de prosperar nos negócios, ele fica endividado, a relação com a esposa e o filho vai mal e mesmo sua vida religiosa se mostra uma farsa.

O filme segue meio monótono até certa altura, mas reserva alguns momentos surpreendentes e emocionantes mais para o fim, quando Austin percebe que sua vida pode ser diferente e que nem tudo está perdido. Que assim como o motor de um carro velho e parado pode ser consertado e posto em funcionamento com o simples virar de uma chave, sua vida também pode experimentar uma “virada” na direção da realização plena.

Por que assistir ao filme? Porque, a despeito das limitações técnicas, ele é capaz de mostrar que a fé traz sentido à vida quando permeia cada aspecto da existência; quando a religião deixa de ser um assunto de fim de semana e passa a ser um ingrediente importante do dia-a-dia.

Michelson Borges

7 comentários:

Erisvaldo disse...

Realmente é um otimo filme.Deixemos de lado as super produçoes e olhemos mais a mensagem do filme com certeza aprenderemos muito mais...

Celina disse...

Também gostei deste. É do mesmo diretor do Desafiando Gigantes.

Mostra que se pode vencer sendo honesto e não fraudando as pessoas.

Gostaria de indicar quatro filmes. Não sei se pode ser neste espaço, mas como não vi um link pra essa finalidade, posto aqui mesmo [me desculpem pela invasão]:

O Jardim Secreto
De Volta ao Jardim Secreto
Les Choristes (A Voz do Coração)
O Som do Coração

Espero que sejam do tipo que possa ser postado neste blog.

Abraços.

Celina disse...

Tem mais este outro filme, que esqueci de indicar no post anterior:

Conversando com Deus.

JULIANNE DI GIAIMO disse...

ESTE FILME É MESMO MUITO ÓTIMO ASSISTA EU VOCÊ MESMO VAI TIRAR SUAS PRÓPRIAS CONCLUSSÕES. ESTE FILME É DE TIRAR O FÔLEGO. TEMOS QUE TER MAIS FÉ EM DEUS POIS ELE PODE NOS AJUDAR NAQUILO QUE QUEREMOS E NAQUILO QUE ELE ACHA SER O MELHOR PARA MIM E PARA VOCÊ. É ISSO QUE O FILME A VIRADA PASSOU E DEIXOU DE LIÇÃO PAR MIM. ASSISTA

Jailson Freire disse...

Um filme simples e singelo, mas de uma mensagem tocante. Um filme capaz de nos fazer refletir por muito tempo. Um filme que prova que Deus usa as coisas simples para confundir as que são...
Nota 10.

Clóvis Costa disse...

Também assisti ao filme. E gostei da mensagem que passa. Creio mesmo que precisamos de filmes que tenham um fundo moral mais condizente com nossas crenças, naquilo que nos é ensinado na Palavra de Deus.

KATIANA disse...

Maravilhoso e comovente.