sexta-feira, maio 05, 2006

"Meu Nome é Rádio": as várias faces do preconceito

Apesar de afirmarmos que respeitamos as diferenças e não somos preconceituosos, a questão da discriminação e da intolerância mútua é uma realidade em nosso mundo e em nosso país também. Infelizmente, os discursos de igualdade não passam de mera falácia. É por isso que o filme "Meu Nome é Rádio" (2003, direção de Michael Tollin) não perde a atualidade e aborda a questão do preconceito em relação a pessoas portadoras de necessidades especiais e que apresentam maneiras diferentes de aprendizagem.

Além de uma bela atuação de Cuba Gooding Jr, a trama expõe o lado discriminador de todos nós. A abordagem ocorre em torno da incapacidade humana de compreender o seu próximo, respeitá-lo e verdadeiramente apoiá-lo para que consiga ter uma convivência saudável com aqueles que o rodeiam. Recheado de cenas emocionantes e sem a violência barata e banal que permeia a maioria dos filmes cuja temática é o preconceito, "Meu Nome é Rádio" é baseado em uma história real. Traz à tela a história de personagens de "carne e osso" que viveram na pele as várias faces do preconceito em uma sociedade que teima em se diferenciar e não em se unir para crescer.

Felipe Lemos é jornalista em Florianópolis, SC.

7 comentários:

Evandro disse...

Outros filmes:

"Humicane (algo assim) a história do Furação". Que fala sobre um cara q foi preso, virou lutador de boxi, ai foi preso de novo. (na época do racismo)

e ai escreveu um livro, e um outro negro estudande leu seu livro, e junto com seus amigos se propos a ajudá-lo e libertá-lo da injustiça.

Muito bom mesmo.



Também tem aquele "Homens de Honra". Contando a história do marinheiro que virou mergulhador da marinha, sendo o primeiro negro na america do norte a ser. E passou por vários.

E há rumores, q esse personagem na vida real, é adventista.

*Editte* disse...

Hun esse filme é lindo mesmo!!!
Uma lição de vida e superação.

Anônimo disse...

ameei esse filmee, bem lindo mesmoo =DD

Késia Mota disse...

Muito bom. Como o filme indicado acima, trata da igualdade entre os ditos "normais" e os deficientes mentais.

Gosto muito.

Anônimo disse...

Conheci esse filme em 11 de maio de 2009, assistindo TV ( Globo ) de madrugada. Me emocionei muito, gosto de filmes de qualquer gênero que, me divirtam ou não, me fazem pensar: Penso que oe excepcionais são os únicos que nascem e morrem com O CARÁTER PERFEITO.
Edson - Ubaporanga-MG

Anônimo disse...

eu assisti o filme na minha escola, gostei muito, sim é uma liçao de vida para todos, pois somos iguais, e nao importa como somos devemos ser respeitados.

parabens: mike rich (escritor)
e mike tollin ( diretos)

Andréia disse...

Esse filme é muito lindo!!!Ele nos ensina a ser seres humanos melhores!Deficiente é aquele que não aceita o próximo como ele é...