domingo, fevereiro 17, 2008

Entre Dois Mundos

O filme “Entre Dois Mundos”, dirigido por Vic Sarin, mostra o quanto o preconceito e o ódio inspirados pela religião podem ser destrutivos. Com o fim da dominação inglesa sobre a Índia, em 1947, o país passou a enfrentar os efeitos do esfacelamento e da intolerância entre muçulmanos, sikhs e hindus. De início, a divisão em duas nações distintas - Índia e Paquistão - foi bem acolhida por alguns muçulmanos como uma solução para os conflitos inter-religiosos. Mas essa iniciativa acabou gerando uma migração em massa, obrigando os hindus a abandonarem suas terras e viajarem para o sul, enquanto os muçulmanos se deslocaram para o norte. Milhares de pessoas, ao cruzar a fronteira, foram assassinadas, especialmente as mulheres.

Num desses ataques contra um grupo de refugiados muçulmanos, Nassem (Kristin Kreuk, de Smallville) é salva por um ex-soldado sikh chamado Gian. O jovem, cansado dos horrores da guerra, se refugia numa vida simples de agricultor e se vê obrigado a enfrentar os próprios conterrâneos para defender a moça por quem acaba se apaixonando.

É um drama bem construído que mostra que o amor verdadeiro pode sobrepujar diferenças raciais e religiosas. O caráter bondoso de Gian e sua decisão de acolher a muçulmana Nassem até lembram a história bíblica de Rute e do nobre Boaz.

Quando Nassem descobre que sua família está viva no Paquistão, o que parecia a possibilidade de um feliz reencontro acaba se tornando no pior pesadelo de sua vida.

Infelizmente, a tragédia retratada no filme parece longe de ter fim, já que, desde sua independência da Grã-Betanha, a Índia e o Paquistão já travaram três guerras pelo controle da Caxemira, que foi dividida entre os dois países.

O filme é bom, mas deixe algumas caixas de lenços à mão...

Michelson Borges

12 comentários:

Thiago disse...

Olá!

Bom dia!

Muito bom esse filme, gosto muito de filmes com temas que envolvem política e conduta moral, realmente é emocionante...

Gostaria de saber sua opinião sobre um filme chamado "O Poder de um Jovem" (The Power Of One, EUA, 1992). O filme conta a história de um orfão aterrorizado pela crença política de sua família, o pequeno PK (Stephen Dorff), procura ajuda em seu único amigo: um gentil e experiente prisioneiro (Morgan Freeman) que o ensina a lutar boxe. "O pequeno quando é esperto vence o grande", diz o prisioneiro. "Primeiro com a cabeça, depois com o coração". Vivendo por essas palavras, PK amadurece lutando com os seus punhos e com o coração. Ele abala o sistema e as injustiças a sua volta e descobre que uma pessoa realmente pode fazer diferença.

O link do filme é o seguinte: http://www.submarino.com.br/dvds_productdetails.asp?Query=&ProdTypeId=6&CatId=625&PrevCatId=625&ProdId=195352&ST=BL625&OperId=0&CellType=2#content

Thiago disse...

Oi Michelson!

Sou leitor assíduo do seu blog, estou postando este comentário porque queria saber sua opinião sobre esse filme que falei no comentário anterior, e se ele seria digno de ser indicado no seu blog e poque...

Abraços!!!

Erisvaldo disse...

Gostei do filme, mais o final poderia ser melhor pela luta que o ator enfretou...

Wagner Rodrigues disse...

Michelson

Apesar de ser hoje um adventista "independente" da organização, acompanho seu trabalho e dentro daquilo que você escreve estou sempre "retendo aquilo que é bom".

Quando você terminou este post com as palavras "O filme é bom, mas deixe algumas caixas de lenços à mão..." lembrei imediatamente da palestra do irmão Daniel Spencer "A guerra dos sentidos" onde ele expõe os perigos de fragilizar o emocional com estórias inverídicas, além de estarmos financiando uma indústria de propagação do erro.

Além de cinéfilo, fui também por muito tempo um leitor voraz, lendo a grande maioria dos clássicos da literatura como Shakespeare, Kafka, Poe, Goethe, Stendhal e muitos outros. Estar exposto à ficção e deixar os sentimentos "do coração enganoso" do homem permearem a nossa alma, por mais pueril que pareça o conteúdo, traz sempre consequências maléficas ao emocional e eu já experimentei isso na minha vida de forma bastante clara. Mas neste caso (literatura), o prejuízo não é completo, se considerarmos que por mais destrutivo que seja para o emocional há um enorme ganho intelectual nessa prática (mesmo que esse fator não compense o prejuízo emocional, e isso falo de experiência própria).

No caso da ficção do cinema, o prejuízo é ainda maior haja vista que o aspecto intelectual é muito pouco ativado nestas circunstâncias (projeção de imagens em sequência numa tela). Cria-se um modelo pronto e o cérebro fica anestesiado pela ficção, que brinca com nossos sentimentos e nos torna mais vulneráveis e fracos espiritualmente. Sabemos que não é invulgar que as mensagens destes filmes trazem coisas que são incompatíveis com as nossas convicções, e o mais perigoso é que a contrafação muitas vezes está por trás de estórias aparentemente inocentes e politicamente corretas.

De todos os seus trabalhos na internet, ouso dizer que apenas esse seria descartável, e não falo isso como uma crítica pura e simples, mas por ser o seu irmão em Cristo.

Paz!

Tudo que é verdadeiro,tudo que é respeitável, tudo que é justo tudo que é puro, tudo que é amável, tudo que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento."
( Filipenses 4:8 )

Fabíola disse...

Nuss! amei o filme, mto lindo msmo!chorei até pouco no final né, mas vlw a pena.Não gostei do Gian ter sido morto, quem deveria ter sido morto era o irmão da Nassem,mas enfim, amei o filme e recomendo a todos.

Mailsa disse...

nossa ameii o fime.. so não gosteii porque o final foi uma tragedia. eu gosto de filme quandoo tem o final feliz. mais acheii pakas pra carambra amei mesmo

Mailsa disse...

Situação entre Índia e Paquistão continua tensa

PUBLICIDADE
da France Presse, em Nova Déli

A tensão continua presente na fronteira entre Índia e Paquistão, onde as duas potências nucleares concentraram tropas, apesar dos sinais de calma registrados durante o final de semana.

Ontem, o Exército disse que havia derrubado um avião espião paquistanês sem piloto que penetrou no espaço aéreo indiano em Caxemira. Segundo Nova Déli, o aparelho foi derrubado por um helicóptero do Exército e caiu do lado paquistanês da fronteira, depois de ter penetrado oito quilômetros no espaço aéreo indiano e ter efetuado círculos sobre instalações militares.

Um porta-voz militar paquistanês afirmou que este assunto havia sido "inventado" pelos indianos para dissimular a perda de um de seus próprios aviões sem piloto.



Os dois Exércitos concentraram milhares de soldados de ambas as partes da fronteira indo-paquistanesa depois da crise provocada no mês passado por um atentado suicida contra o Parlamento da Índia, em Nova Déli, que os indianos acham que foi instigado por Islamabad (capital paquistanesa).

As esperanças de uma solução da crise vieram de Katmandu, onde no final de semana foi realizada uma reunião de cúpula de países da Ásia do Sul, que permitiu ao presidente paquistanês, Pervez Musharraf, e o primeiro-ministro indiano, Athal Behari Vajpayee, conversarem diretamente pela primeira vez desde o início da crise.

A parte indiana tentou minimizar a importância desses encontros, mas o jornal indiano "The Hindu" explicou em sua edição de hoje que, ao que parece, os dois países elaboraram um programa suscetível de superar a atual crise militar e levá-los ao reinício do diálogo político.

Segundo o jornal, os diplomatas indianos e paquistaneses discutiram sobre um processo em duas etapas, tendente primeiro a desativar as tensões militares na fronteira e depois a retomar um diálogo político de conjunto.

A Índia apresenta como condição essencial para reiniciar o diálogo com o Paquistão que este último adote medidas contra os grupos islamitas que atacam a parte indiana de Caxemira, partindo de bases paquistanesas.

A condição do Paquistão é que as tropas indianas se afastem da fronteira.

Embora Islamabad tenha efetuado uma série de detenções ns meios islamitas radicais, Nova Déli considera que isto não é suficiente.

A preocupação que provocou na comunidade internacinal a tensão entre os dois países levou o primeiro-ministro britânico Tony Blair a fazer um giro pela região para tentar acalmar a situação.

Por sua parte, os dirigentes norte-americanos devem adotar uma decisão esta semana para o envio de um representante especial, cuja missão consistiria em acalmar a agitação que leva inclusive Washington a temer o fracasso de sua guerra contra o terrorismo na região
3 meses atrás

Rodrigo disse...

Olá Wagner Rodrigues,

Antes de falar contra essa parte do blog que fala sobre filmes, aconselho você ler o livro "Nos bastidores da mídia" de autoria do criador deste blog (o próprio Michelson Borges).

Você pode comprá-lo pela CPB.

Lá essa fala bastante sobre os filmes e cinema.

Um abraço


"A graça do Senhor Jesus Cristo, e o amor de Deus, e a comunhão do Espírito Santo estejam com todos vós".

Eliakim disse...

esse filme é um exemplo de vida a todos nós....daqueles de se ter na estante

MM'S divagando disse...

Qualquer motivo que leve ao preconceito e ódio é destrutivo!

Bernardo disse...

Boa noite Michelson,

Gostaria de felicitá-lo pela sua postagem, achei bastante interessante muitos dos filmes que aqui tem. PARABENS :)

Cumprimentos,

yone disse...

a maior parte dos filmes jah tenho q tenhoutros q também são maravilhosos como por exemplo: desafiando gigantes, um sonho de liberdade , em busca de um milagre e outros. São esses filmes q me ajudam me encorajam e me ajudam sempre q nescecito. Amei o blog pois posso ver laguns filmes em q irão me ajudar q DEUS lhe abençoe sempre a cada dia...